O Bolsa Família é um dos maiores programas brasileiros que atua contra o cenário de pobreza. No geral, o auxílio funciona como um complemento para que as famílias brasileiras que se encontram em situação de pobreza e pobreza extrema tenham acesso a alimentação básica.

Mas com a crise do coronavírus, o Bolsa Família se tornou a única renda para muitos núcleos familiares e por isso, uma proposta do Governo visa ampliar o valor do benefício para dar suporte a esse público. Veja tudo a seguir:

Como você já deve saber, o Bolsa Família é um programa de transferência de renda que beneficia mais 13 milhões de brasileiros. A proposta do programa é permitir que as famílias brasileiras que se encontram em situação de pobreza ou pobreza extrema possam ter acesso a necessidades básicas.

De acordo com informações do portal bolsa família 2020o número de cidadãos que se inscreveram para o programa aumentou significativamente, evidenciando o crescente cenário de pobreza do país.

E se os dados já indicavam essas mudanças para esse ano, a crise do coronavírus, que forçou os brasileiros a ficarem em casa para a sua própria segurança, intensificou ainda mais o problema, tornando o Bolsa Família renda única em diversos lares.

E por isso, o Governo preciso ampliar o suporte previsto, para auxiliar financeiramente milhões de famílias. E isso estará sendo possível através do Bolsa Família emergencial.

O que é o Bolsa Família Emergencial?

Para auxiliar os cidadãos que ficaram impossibilitados de trabalhar e se encontram em situações de serviço como trabalhador informal, MEI ou desempregado, o Governo lançou o Auxílio Emergencial durante a pandemia do coronavírus.

O auxílio está previsto para ser pago em três parcelas iguais e pode ser equivalente a R$600 ou R$1.200 no caso do beneficiário ser uma mulher chefe de família.

E quem já é beneficiário do Bolsa Família, ou seja, já está registrado no Cadastro Único, também receberá esse valor junto com o valor da bolsa na mesma quantidade de três parcelas.

Como se cadastrar?

Quem não é participante do Bolsa Família pode ter acesso ao recurso de cadastrando no site do Auxílio Emergencial ou baixando o aplicativos nas plataformas de download.

Mas vale lembrar que as famílias que já recebem o Bolsa Família não precisam realizar nenhum tipo de cadastro, nem presencial e nem online, para ter acesso ao valor.

Nesse caso, os beneficiários já receberão o acréscimo no próprio valor do Bolsa Família na mesma conta regular que utilizam para sacar o direito mensalmente. Não é necessário realizar nenhum cadastro.