Por muito tempo, o espaço acadêmico foi negado para o povo negro e justamente por essa razão, o fatos negros estarem representando um percentual positivo nas universidades virou notícia! Quer entender mais sobre o assunto? Confira as informações a seguir:

Como mencionado, o espaço acadêmico foi, por muitos anos, elitizado, o que isso excluía diversos grupos como os negros, os indígenas, os quilombolas.

Recentemente, a notícia de que os negros se tornaram maioria no ensino superior foi recebida com muito positivismo pelos grupos considerados minoria ou considerados grupos marginalizados, como é o caso dos estudantes que moram em situação de pobreza.

De acordo com dados publicados, a maior parte da população negra se encontra nas favelas e o fato do percentual na realidade acadêmica ter subido, representa uma tentativa de igualar as possibilidades para este público.

Mas como se deu esse processo?

O projeto do sistema de cotas aplicado às plataformas oficiais do Exame Nacional do Ensino Médio (ProUni e Sisu) foi uma das medidas que tornou o percentual de negros no ensino superior positivo.

Os estudantes podem optar por competir pelas vagas nas universidades através da cota racial na hora de participar das inscrições para o ProUni em 2021ou das inscrições Sisu em 2021.

O ProUni corresponde ao Programa Universidade Para Todos, que é um projeto voltado para a distribuição de vagas no ensino particular. O programa exige que os estudantes tenham concluído o ensino médio na rede pública o na rede particular, mas como bolsista, pois visa beneficiar estudantes de baixa e média renda.

Já no Sisu, o Sistema de Seleção Unificada disponibiliza diferentes modalidades de cota, podendo ser: cota racial, cota de baixa renda e cota de escola pública.

Qual o objetivo das cotas?

O sistema de cotas foi implantado com vários objetivos, sendo o principal promover uma reparação histórica para grupos que sofreram atrocidades, perseguições, preconceitos e consequentemente, tiveram suas oportunidades limitadas durante a história.

A cota prevê também, a longo prazo, um cenário misto de mercado de trabalho a fim de que pessoas de todas as cores possam ocupar cargos de diversas categorias.

E é justamente por causa da popularização do sistema de cotas e da ocorrência de outras medidas que o número de negros no ensino superior foi possível.

Ainda que seja válido ressaltar que o percentual de negros não é maioria como regra em todas as instituições, mas chegou sim a acontecer em algumas universidades, provando que o sistema é funcional.